Notícias > Machado de Assis e Joaquim Nabuco são homenageados em selo

Machado de Assis e Joaquim Nabuco são homenageados em selo

Brasília, 17/7/2019 - Os fundadores das cadeiras 23 e 27 da Academia Brasileira de Letras (ABL), Machado de Assis e Joaquim Nabuco, são homenageados em emissão dos Correios que será pré-lançada nesta quinta-feira (18). A cerimônia ocorrerá na sede da instituição, no Rio de Janeiro, às 17h30.

Joaquim Maria Machado de Assis, jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, nasceu no Rio de Janeiro (RJ) em 21 de junho de 1839. Iniciou a carreira com a tradução de Queda que as mulheres têm para os tolos (1861). Seu primeiro livro de poesias, Crisálidas, saiu em 1864. Em 1867, foi nomeado ajudante do diretor de publicação do Diário Oficial. Dois anos depois, em 12 de novembro, casou-se com Carolina Augusta Xavier de Novais, que foi sua companheira por 35 anos.

Machado colaborou na Revista Brasileira, participando do grupo que planejou a criação da ABL, inaugurada em 28 de janeiro de 1897. Naquele ano, foi eleito presidente da Instituição, cargo que ocupou por mais de dez anos. O escritor se dedicou à Academia até o fim da vida, falecendo em 29 de setembro de 1908, também na cidade do Rio de Janeiro.

Escritor e diplomata, Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo nasceu no Recife (PE) em 19 de agosto de 1849. Era filho do Senador José Tomás Nabuco de Araújo e de Ana Benigna Barreto Nabuco de Araújo. Iniciou o curso de Direito em São Paulo, a partir de 1865, mas formou-se em seu Estado natal, em 1870. Foi Adido de Primeira Classe em Londres, depois em Washington, de 1876 a 1879.

De 1881 a 1884, Joaquim Nabuco viajou pela Europa e publicou sua primeira obra, O Abolicionismo. Ao ser proclamada a República, em 1889, já de volta ao país, retirou-se da vida pública, dedicando-se à sua obra e ao estudo. Nessa fase, enquanto escrevia duas de suas obras mais importantes: Um Estadista do Império e Minha formação, estreitou relações de amizade com Machado de Assis e participou das reuniões preliminares de instalação da ABL, sendo designado secretário-geral da Instituição na sessão de 28 de janeiro de 1897. Exerceu o cargo até 1899 e, também, de 1908 a 1910, quando faleceu em Washington (EUA).

A emissão - As fotos dos Imortais da ABL foram trabalhadas digitalmente para refletir um tom quase dourado. No centro da composição, foi aplicado o ex-libris da Academia em vetor, com único toque em cor verde e os nomes inseridos em faixas idênticas, ressaltadas por suave sombra para dar destaque. As técnicas utilizadas foram fotografia e computação gráfica.

A emissão tem tiragem de 120 mil selos, no valor de R$ 2,10 a unidade. As peças estarão disponíveis, a partir do dia 20 de julho, nas principais agências de todo o país e também na loja virtual dos Correios.